terça-feira, 1 de novembro de 2016

Texto da noite 💔

 Essa é a ultima vez que vai ler um texto sobre você. Eu decidi que seria uma despedida, um velório, uma forma de enterrar esse amor morto que eu insisti em ressucitar tantas vezes. Dessa vez eu vou falar de mim, eu vou falar das flores, do meu jardim que agora tem orquídeas novas, do meu peito que já brotaram tantos nomes diferentes depois do seu. Nossa cama não é mais nossa, nem a nossa música me comove mais. Pra dizer a verdade, acho que nunca comoveu, nunca gostei de fato dela. Eu sempre mórbida, triste, melancólica demais prum sentimento tão bonito quanto o meu foi. Pra continuar dizendo bem a verdade, meu peito já se libertou de você e faz um tempão, é... há muito tempo eu já parei de chorar. Enjoa ter que ouvir as pessoas dizerem que vai passar e que você está melhor assim e eu estou melhor assim e está tudo melhor assim. Enjoa olhar pras pessoas e lembrar de você, ver casais e relembrar nossos momentos, que não foram assim tão bons. Chega uma hora que o o sofrimento pede arrego e você tem que dar lugar pra renovação. O novo chega e pede espaço. Um novo amor, nova casa, nova profissão, um novo você. Eu apaguei seus e-mails faz tempo. Mas a vontade de sofrer por amor virou moda e eu entrei nessa. Sofri tanto que enjoei. Por isso decidi fazer um último texto pra te dizer que não sofro mais. Pra te dizer que nossos planos foram superados faz tempo e que te quero bem. Não quero mais pra mim, mas também não quero o mal. Quero que lembre de mim, não por sofrer e nem porque é moda. Mas quero que lembre porque fomos importantes um pro outro. Quero que me perdoe de tudo que foi pesado, de tudo que foi triste, que foi perdido. E que venha o novo, pra você também. Quero que a minha leveza seja sua. Depois de tanto choro vazio, sem esperança, sem ao menos sentimento, eu escrevo nossa despedida sorrindo. Não misture apego ou remorso com amor, assim como eu fiz. Nosso amor foi lindo, sim e durou o quanto bastava, não existe mais e hoje em dia é só lembrança. Trata de ficar bem e ser feliz, isso é obrigação da gente. Ri hoje, lembrando de te explicar que  "a", usado como prefixo, significa "não" ... De manhã, naquele trânsito infernal da marginal, ouvindo mpb, tentando fugir do caos, isso me veio a mente. Morrer. Amor. Amor é o começo de não morrer. Amorrer. Amar é sobreviver. E a gente amou, a gente sobreviveu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário